A quarentena tem destas coisas. Livros, CDs, filmes e documentários sempre adiados ganham tempo e espaço para, finalmente, entrarem na nossa vida. Uma das minhas escolhas foi Dennis McShade, pseudónimo de Dinis Machado (1930-2008).

Mais do que um livro, Terra Americana é um fenómeno. No dia seguinte ao da publicação do romance nos Estados Unidos da América, em Janeiro deste ano, Oprah Winfrey anunciava-o como o livro seguinte do seu clube de leitura.

James Baldwin tinha 24 anos quando chegou a Paris com apenas um punhado de dólares no bolso, a vontade de escapar à discriminação e o desejo feroz de dedicar a sua vida à escrita.

Uma montanha de livros… um conjunto interminável de obras interessantes (umas mais interessantes do que outras, é um facto), e sempre tão pouco tempo e disposição para ler todos os livros que compramos (que eu compro, melhor escrevendo!).

A primeira vez que comi os tradicionais bolos ingleses tinha nove ou dez anos. Foi a minha mãe quem mos fez depois de eu lhe ter perguntado o que eram por estarem sempre a aparecer nos lanches de Os cinco. Sem recurso ao Google, a minha mãe lá descobriu que bolinhos eram aqueles e daí para a frente, passei a acompanhar as aventuras da Zé, Ana, Júlio, David e Tim, devidamente munida de um pratinho deles.

Andava eu num frenético zapping na plataforma Netflix, algures em 2017, quando dei de caras com um documentário com o título sugestivo de “O centro não consegue suster-se”. Li a sinopse e fiquei curiosa. O documentário pretendia retratar a vida de uma escritora/jornalista americana, de seu nome Joan Didion.

As questões que perpassaram a vida de Carolina Maria de Jesus e o seu “Quarto de Despejo” continuam actuais numa sociedade em que persistem gritantes assimetrias e injustiças sociais: muitas “salas de visita” e muitos “quartos de despejo”.

Durante muitos anos da minha juventude, habituei-me a ver o filme Quo Vadis nas quadras festivas. Creio que era por ocasião do Natal que o filme era transmitido na televisão, normalmente alternando com o Ben-Hur ou com Os Dez Mandamentos. A memória que retenho dessas grandes produções da época de ouro de Hollywood é muito escassa, mas invariavelmente positiva.

A 20 de Setembro de 1519, Fernão de Magalhães partiu de Sevilha ao comando, sob a bandeira do rei de Espanha, da expedição marítima que efectuou a primeira viagem de circum-navegação ao globo.