No radar

Mirai

por Joana Nascimento

Mirai é um filme absolutamente inesquecível. Trata-se de um anime, como não podia deixar de ser. O tema é a importância da família e como, por vezes, os ciúmes entre irmãos podem levar a uma reflexão sobre nós próprios.

O filme é uma narrativa simples do realizador Mamoru Horoda, sobre um rapaz chamado Kun que vê a sua vida mudar com a chegada da irmã mais nova, Mirai. Os ciúmes são imediatos. A atenção tem de ser repartida pelos dois por parte dos pais e isso incomoda-o. Ele gostava de ser filho único. Um dia, vai ao jardim da casa onde vive e depara-se com uma versão adolescente da irmã que lhe diz que as suas atitudes para com a irmã e o resto da família não o levam a lado nenhum e as consequências podem ser devastadoras.

A partir daqui, Kun inicia uma viagem que o leva a várias gerações da família, umas próximas, outros distantes, em que revive acontecimentos passados com familiares e até ele próprio no futuro. Esta viagem ensina-o a ver a vida de uma outra perspectiva, fazendo-o aceitar as mudanças como parte dela. É o que nos torna humanos.

Este é um tema recorrente nos filmes deste realizador. Explora as relações familiares e como elas moldam o nosso carácter ao longo dos anos. O legado familiar é algo importante na cultura japonesa daí um maior respeito pelas tradições, sobretudo as familiares.

Com uma animação belíssima, como sempre acontece neste estilo de animação, é um filme para se ver em família. Pela minha parte, vi-o sozinha. Mas ver um anime é sempre um momento especial para mim, especialmente um filme e, se ele tiver uma mensagem tão bonita como este, melhor ainda.

Vi este filme no canal por cabo TvCine Emotion. Normalmente é pago, mas durante o fim-de-semana de 17 a 19 de Janeiro teve sinal aberto. Se não tiverem este canal ou se não o conseguiram apanhar durante estes dias, podem sempre adquirir o DVD que se encontra disponível em qualquer loja de música e filmes.