No radar

Alvaro Pirez d’Évora no MNAA

por Filipa Gonçalves

Todas as oportunidades são boas para visitar o MNNA. E, desde 29 de Novembro do ano passado até 15 de Março, a exposição “Alvaro Pirez d’Évora. Um Pintor Português em Itália nas Vésperas do Renascimento” é mais uma.

Trata-se do mais antigo pintor nascido em Portugal, o primeiro a inscrever o seu nome na história de arte, documentado na região da Toscânia, em Itália, onde trabalhou entre 1410 e 1434. O percurso cultural do pintor moveu-se entre Florença e Siena, de 1411 a 1434, tendo residido em Pisa e Volterra. Os comitentes da pintura de Álvaro Pires d´Évora, conhecido pelos italianos como Alvaro Piero di Portogallo, foram, primordialmente, as ordens religiosas e a rica burguesia mercantil italiana. Dele conhecem-se cerca de 50 pinturas, artisticamente enquadradas na pintura centro-italiana da época.

De acordo com a Direcção-Geral do Património Cultural, esta ”é a mais completa exposição realizada até hoje dedicada ao pintor, e tem por objectivo apresentar também o contexto cultural e artístico em que se desenvolveu a arte de Álvaro Pires d’Évora”, um “testemunho das intensas relações da área mediterrânica nos alvores do Renascimento”.

A representação das figuras humanas, por comparação aos seus contemporâneos, a riqueza da ornamentação da pintura, o tratamento dos panejamentos e a utilização profusa do ouro são os aspectos que se destacam nas obras em mostra.

Da exposição fazem parte pinturas conservadas em Portugal, entre elas a “Anunciação”, agora integrada na colecção do MNAA, e ainda obras dos grandes pintores toscanos do seu tempo, num total de 85 peças. Integra, igualmente, empréstimos de grandes museus europeus, entre os quais se destacam a Gemaldegalerie (Berlim), o Musée du Petit Palais (Avignon), o Museo Nazionale di San Matteo (Pisa), a Pinacoteca Nazionale di Siena, a Galleria d’Arte Moderna (Milão), as Gallerie degli Uffizi (Florença) e ainda outras instituições museológicas e coleções privadas de referência, de Itália, França, Alemanha, Hungria e Polónia.