No radar

Prólogo, Ato, Epílogo de Fernanda Montenegro

por Carla Coelho

Nascida a 16 de Outubro de 1929 Fernanda Montenegro celebra hoje 90 anos. Chegar a esta idade é um feito sempre digno de registo. No caso de Fernanda aos 90 anos de vida junta-se a celebração de mais de setenta anos de carreira, dividida entre o teatro, a televisão e o cinema.

Figura aclamada pela crítica e amada pelo público Fernanda celebra o seu aniversário com o lançamento das suas memórias com o título Prólogo, Ato, Epílogo. Nascido de uma série de conversas com Marta Goés, o livro é um presente para aqueles que, como eu, são admiradores do percurso desta actriz brasileira.

A obra foca-se sobretudo na vida profissional de Fernanda Montenegro recordando o seu percurso, as suas lutas, as pessoas que conheceu e que a influenciaram (sempre com uma palavra generosa), bem como a imensa paixão e alegria com que viveu e vive a sua profissão. Há também, de forma contida, páginas dedicadas à sua vida privada. Logo no início do livro Fernanda recorda os seus antepassados, portugueses e italianos, naquelas que, a meu ver, são as mais belas páginas da obra. Recupera o seu percurso, as dificuldades que viveram e o modo como ainda hoje encontra em si a memória dos avós e progenitores. Fala também do seu longo casamento (mais de sessenta anos) com Fernando Torres, sobre os filhos de ambos, Cláudio e Fernanda, bem como dos netos (a quem dedica a obra).

Neste longo testemunho pontua a sua mundividência. De vez em quando, encontramos a visão de Fernanda sobre a sexualidade, o racismo e a discriminação em função do sexo, da orientação e da profissão (lembrando a carteirinha policial que os actores e actrizes tinham de ter dado o carácter dito duvidoso da sua actividade). Entrelaça-se também a história política do Brasil, com a recordação de Getúlio Vargas, Jânio Quadros, os anos da ditadura e a janela que foi o tropicalismo. Estes temas são abordados, mas confesso que gostaria de saber mais sobre o que Fernanda Montenegro pensa sobre eles. É que com uma personalidade e vida tão ricas um volume de memórias (ainda que grande) sabe a pouco!

Como disse, o livro vai agradar sobretudo aos que acompanham o percurso desta actriz. Mas nele há lições para todos, como esta frase que encerra a obra “O que lamento é a vida durar apenas o tempo de um suspiro. Mas, acordo e canto”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s