Sociedade

Iberanime LX 2019- Parte 1

por Joana Nascimento

A aventura pelo Oriente continua. Desta feita, deixem-me apresentar aquele que pode ser considerado como o lugar onde todas as categorias da cultura pop japonesa se reúnem: o evento. Quase como um clube secreto onde os fãs se encontram uma vez por ano para espreitarem as novidades do anime, manga e cosplay. Um sítio onde as realidades do dia-a-dia e da fantasia se cruzam, como um ritual de passagem de pessoa dita ‘normal’ a fã de cultura pop japonesa.

De que evento vos escrevo? Do Iberanime pois claro!

Nascido nos anos 90, foi o primeiro evento dedicado à cultura pop japonesa em Portugal. Numa altura em que esta cultura ainda estava em expansão, este evento surgiu como uma forma de dar a conhecer um pouco mais deste universo tão vasto mas também o seu país de origem que, para muitos, era desconhecido. O seu público-alvo são os jovens mas está aberto a todos quantos queiram conhecer.

O ambiente do evento é muito especial! Ainda antes de se avistar o pavilhão da FIL, já nos entra pelos olhos o colorido de fatos e acessórios de muitos do que para lá se dirigem. Tantas vezes chamados de ‘figuras estranhas’, os cosplayers, ou praticantes de cosplay, vão surgindo, quer em grupo quer sozinhos, todos atraídos para o mesmo sítio. As suas caracterizações são ao mesmo tempo familiares (os fãs conhecem aqueles personagens das suas séries preferidas) e extraordinárias, é impossível não admirar o detalhe da sua confecção e a luz que, aos olhos dos curiosos, faz “parecer carnaval”. A multidão vai-se adensando à medida que nos aproximamos do local do evento. Parece quase uma maré que recolhe ao seu mundo. Eu estou no meio deles com a amiga que me acompanha. Lentamente chegamos por fim ao nosso destino.

Depois de passarmos as barreiras da entrada, entramos no recinto do evento. Ali, já estamos noutra realidade. A música, as pessoas, as luzes, os stands onde se realizam as actividades e se vendem objectos que são verdadeiros tesouros para os fãs e que os deixam mais perto dos seus heróis; o palco onde acontecem os concursos e as projecções de anime, tudo aquilo absorve-nos completamente.

O nosso lado de fã veio ao de cima e iniciámos logo a nossa ‘caça ao tesouro’ ao mesmo tempo que explorávamos o local. Fomos espreitar algumas das actividades que lá se passavam para além da venda de marchandise, o que nunca é fácil dada a diversidade de coisas a acontecer. Passámos por um palco onde decorria um concurso para ver quem comia mais noodles instantâneos, um prato de eleição dos fãs e dos japoneses e que hoje em dia já tem muitos apreciadores no ocidente. Passámos, em seguida, ao palco principal onde eram projectados episódios especiais ou antestreias de episódios de anime que mais tarde passarão na TV. No meu caso, entusiasmei-me com Dragon Ball Super e My Hero Academia. A concentração à volta deste palco é sempre grande sobretudo quando o tema é anime, por isso tornou-se difícil assistir às projecções. Para além da multidão que me rodeava, a maioria estava mascarada, o que distraiu ainda mais, e alguns levavam acessórios ou disfarces que ocupavam demasiado espaço.

A seguir, às projecções, apareceram os responsáveis pela dobragem de alguns personagens para interagirem com os fãs. Posso dizer que foi um dos pontos altos do evento. O outro foi, sem dúvida, o concurso de cosplay, claro!

O cosplay neste evento assume um papel fundamental uma vez que para os fãs é muito mais que um disfarce é quase uma forma de estar. Para muitos, é uma arte ou uma forma de expressão. Ora o concurso de cosplay funciona como uma espécie de consagração dessa arte em que os participantes não só exibem os seus trajes como executam pequenas performances relacionadas com o personagem que resolveram ‘incorporar’. O concurso funciona como um encontro entre dois mundos: o ‘real’ e o da ‘fantasia’, que convida o público a emergir no mundo do personagem que representam o que proporciona um momento de interacção entre os ‘personagens’ e os fãs. 

Sendo que antes de tudo isto, ainda houve espaço para um concurso de imitação de poses de personagens anime.

Mas, para mim, o verdadeiro ponto alto foi a ‘caça ao tesouro’, bem frutuosa. Consegui adquirir alguns objectos há muito desejados e que dificilmente encontraria noutro local.

Quanto à ‘caça ao tesouro’, é um pouco como o cosplay, os fãs têm a oportunidade de adquirir objectos relacionados com as suas séries preferidas. Através da passagem pelos vários stands do evento, é possível comprar os objectos pretendidos. Desde peluches a roupa, passando por acessórios e bijutaria, mas também figuras e outros, a variedade é grande e a escolha difícil.

Durante a minha pequena jornada, comprei um conjunto de objectos que há muito tempo queria: dois peluches, um de Dragon Ball outro de Pokemon; um conjunto de Bolas de Cristal de Dragon Ball e um volume da manga Platinium End que estou a ler e recomendo pois a história é interessante.

Para mim, como para todos os fãs, ter estes objectos é, como referi, levar um pouco de outro mundo para casa. De repente, temos um personagem que vemos na TV ou na Internet no nosso quarto ou sala! É incrível!   

Por isso, apesar dos altos e baixos, esta foi uma tarde muito bem passada. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s